Ativações – Sons de silício

Até o dia 15 de dezembro, performances e oficinas serão oferecidas dentro da exposição “Sons de silício”, com entrada gratuita. Confira a programação:

18 de outubro (sexta-feira) das 18h30 às 21 horas

Veia – Inés Terra – Performance
Fluxos sanguíneos, caminhos sinuosos do corpo vocal.

#afetos_ao_vento. – Marina Mapurunga
Performance audiovisual

Batata Musik – Pedro Nonino – Performance/instalação
Plataforma de síntese interativa onde vegetais, sensores de luz e outros controladores são utilizados como partes de um sintetizador analógico, que então tem seu som coletado por um computador que processa o som e o projeta em forma de espectrograma em diversos objetos e espelhos.

Neurorak – Gypsylab8
Performance

8 de novembro (sexta-feira) das 18h30 às 21 horas

Duo Cóz – Performance – Miguel Antar e Fabio Manzione
O duo explora em suas performances uma zona de interferências entre a música popular e os procedimentos criativos da livre improvisação musical. O duo convida os espectadores a dialogarem com a performance de livre improvisação musical utilizando dispositivos eletrônicos como pedais de efeito e microfones, bem como a partir de propostas interativas criadas pelos músicos a serem elencadas aleatoriamente pelo público.

Trio Maomã – Performance audiovisual
O trio formado pelos livre improvisadores Marina Mapurunga (violino, viola e voz), Ronalde Monezzi (saxofone) e Fabio Manzione (percussão) teve sua estreia em 2019 e busca em suas pesquisas explorar as relações entre som e imagem. O trio traz o jogo da livre improvisação musical entre instrumentos convencionais alterados, luteria experimental e gambiarras luminosas. Na performance, diversos tipos de projeções espalhadas pelo espaço servem de arcabouço poético e provocador performativo para as/os instrumentistas e situam o público em um ambiente de interação audiovisual.

Popcorn Time – Fabio Martineli

22 de novembro (sexta-feira), das 18h30 às 21 horas

M.e.M.e.M – Música Eletrônica Mitigante Experimental para a Mocidade – DeCo Nascimento e Vitor Kisil
Influenciados pelo trabalho desenvolvido em Soothing Sounds for Baby, os compositores e artistas sonoros DeCo Nascimento e Vitor Kisil apresentam a performance M.e.M.e.M – Música Eletrônica Mitigante Experimental para a Mocidade, uma peça dividida em três partes utilizando sintetizadores analógicos e digitais como matéria prima para a criação sonora experimental para ser vivenciada em família.

O objetivo dos artistas é explorar distintas sonoridades provenientes da investigação das relações entre sons, espaço e ferramentas tecnológicas, visando apresentar uma alternativa de experiência sonora e musical para crianças, público usualmente desconsiderado em apresentações de música eletrônica e experimental.

Transformações sonoras no Antropoceno – Geert Vermeire e Ros Bandt
“Uma teia sonora” (2019) – Sound Walk Sunday e Sons de Silicio II
Instalação de som e movimento multicanal, baseada em caminhadas simultâneas e remotas, traduzidas em um espaço de performance, sobrepondo novas camadas de sons e idéias aos territórios pelos quais os participantes se movimentam, permitindo a criação de uma realidade paralela de movimento humano constante e compartilhado. O trabalho convida a novas formas de cooperação em som e movimento, desdobrando passos que restauram a trilha sonora do diálogo entre os humanos em movimento e o solo.

“Uma caminhada sonora” (2019)
Os materiais sonoros da instalação serão utilizados para uma caminhada sonora para dispositivos móveis (app) para um público maior, disponível até o final da exposição.

6 de dezembro (sexta-feira) das 18h30 às 21 horas

Luteria Digital Experimental com a biblioteca ELSE para Pure Data – Alexandre Torres Porres
Sample Flipping: criação musical transformando arquivos de áudio – Henrique Rocha de Souza Lima
Oficina prática dedicada a realizar gravações de áudio e processá-las para gerar materiais musicais que serão utilizados para iniciar uma peça musical. Sempre com a mão na massa, ao longo da interação com um sampler, o público participante é convidado a praticar uma escuta analítica em contexto de experimentação, organizar um material musical, e começar a desenvolver uma peça musical conforme suas orientações estéticas, sempre atento às configurações estruturais dos samples trabalhados.

Emaranhado Corpossom – Francisco Lauridsen Ribeiro
Emaranhado corpossom é uma ação em duas partes: (1) uma ativação sonora do espaço arquitetônico expositivo do Centro Maria Antonia por parte do coletivo e (2) uma ação do expositor baseada na carta de 1947 de Antonin Artaud O homem árvore, valendo-se do mesmo campo de procedimentos, a saber: a movimentação livre pelo espaço, a vocalização de sensações, e a efetuação de um roteiro dramatúrgico-sonoro.

13 de dezembro (sexta-feira) das 18h30 às 21 horas

Patch Shop Boy – Alexandre Torres Porres
Sonhofonias – Pedro Paulo Santos – Performance
Constante Elástica – Bella
A instalação constante elástica é um desdobramento da performance Arame de Chico Lima. A proposta é que ele execute a performance, que consiste num movimento que se desdobra no espaço a partir do contato/relação com o arame. As marcas produzidas no arame pelo seu movimento irão reger/fazer parte da instalação.

Nylon bites – Mariana Carvalho
Performance interativa. Duos com pessoas (público) mordendo nylon. Uso de microfones binaurais conectados à mesa de som. Uma terceira pessoa pode escutar com fone direto da mesa e “mixar as cabeças”.

Ensemble Anagrama
Pas de Cinq – Maurice Kagel

Cidades – Gilberto Mendes

  • 00

    dias

  • 00

    horas

  • 00

    minutos

  • 00

    segundos

Horários da Programação

2019-11-08

2019-11-22

2019-12-06

2019-12-13

New Day

New Day

New Day

New Day

New Day

Data

22 nov 2019

Tempo

18:30 - 21:00
Categoria

Deixe uma resposta